Bolsonaro veta distribuição gratuita de absorvente feminino


Segundo apuração do portal Globo.com, o projeto de lei aprovado pelo Congresso em setembro, que previa que absorventes femininos seriam entregues a estudantes de baixa renda de escolas públicas, mulheres em situação de rua, entre outros públicos, foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro.


O veto foi publicado na edição de hoje, quinta-feira (7) do Diário Oficial da União, sob o argumento de que o texto não estabelece a fonte de custeio para essas medidas.


Também foi vetado pelo presidente o trecho que incluía absorventes nas cestas básicas distribuídas pelo Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.


Cabe ao Congresso, agora, manter ou derrubar os vetos presidenciais, em um prazo de 30 dias a partir desta publicação.


Vale destacar que, no Brasil, segundo Relatório do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e do UNFPA (Fundo de População das Nações Unidas), 713 mil meninas não possuem banheiro ou chuveiro dentro de suas casas.


“Garantir cuidados básicos de saúde e incluir entre os itens de higiene os absorventes são medidas fundamentais para o resgate da dignidade destas mulheres. E assim, estas meninas e mulheres estarão em condições de igualdade, ao menos neste aspecto, para estudar, trabalhar e lutar pela manutenção de seus direitos, bem como por aqueles que ainda precisam ser conquistados”, avalia Dr. Thomaz Gollop.


#thomazGollop#Ginecologia#Obstetricia